Polymer Clay

Polymer clay, também chamadas de argila de polímero, argila polimérica, ou cerâmica plástica.

Esse tipo de massa é excelente pra criar esculturas únicas, gerando uma peça final que pode ser pintada diretamente, assim como as massas epóxi, mas com a vantagem de só endurecer quando a gente quer.

Também está disponível em diversas cores, em alguns casos eliminando o processo de pintura, assim como é feito no biscuit, modelando a peça já na cor desejada. Isso é muito utilizado na confecção de pingentes, brincos, etc.

Essa categoria de massas de escultura tem base em PVC, precisam ser assada para endurecer. A temperatura varia de marca para marca, mas todas giram em torno dos 130ºC.

Tem forma de modelagem parecida com biscuit, mas aceita muito mais facilmente ser acrescida de notas de massa, além de não possuir retração visível após o processo de cura, o que facilita muito o aprendizado.

Como as oilclays tem de diferentes durezas e texturas, sendo as mais comuns bem macias. Mas existem mais firmes, inclusive para miniaturas eu gosto de usar a beesputty, por ter diferentes graus de dureza disponíveis.

Necessita ser condicionada sob pressão, isso significa que você pode apertar ela com os dedos, rolo de massa ou máquina de macarrão para isso. Sendo essa última mais indicada para massas mais firmes.
Massas mais duras podem ser picadas em pedaços pequenos antes de iniciar o processo de condicionamento. Elas condicionadas ficam parecendo um chiclete e se forem sovadas demais, ficam bem molengas.

Máquina de macarrão usada pra condicionar polymer clay

Marcas Importadas:
Fimo, Premo, Supersculpey, Beesputty(uso pras minhas miniaturas), e muitas outras marcas.
Marca Nacional:
PVCLAY

Cuidados para assar corretamente:

– As polymer clays podem ser assadas em forno convencional (a gás), mas procure usar um forno elétrico, é mais fácil de controlar a temperatura neles;
– Use um azulejo dentro do forno, assim a variação de temperatura diminui, fazendo com que a peça asse mais uniformemente;
– Cuidado com fornos elétricos com a função dourador, nela a resistência superior se mantém ligada, fazendo com que a temperatura passe do recomendado;
– Proteja a peça de contato direto com o azulejo, também proteja do calor direto das resistências, pois elas aquecem além do indicado no termostato para que o ar dentro do forno atinga a temperatura regulada;
– Para proteger do calor direto das resistências use uma cabana feita de papel alumínio sobre ela;
– É totalmente possível pré-assar uma peça para continuar trabalhando nela depois, para isso regule o forno para uma temperatura inferior à recomendada pelo fabricante, eu gosto de usar 80~90ºC;
– Tenha um termômetro de forno, os termostatos geralmente não são precisos e com o tempo tendem a se alterar, com um controle preciso de temperatura, aumenta a taxa de sucesso de suas peças.

Cuidado com as escalas, alguns termometros tem escala em ºF e ºC

– Caso vá usar as polymers clays coloridas, o controle de temperatura é fundamental, pois acima do indicado há mudança na coloração. Já para o caso de peças que receberão a pintura sobre a massa, não tem problema passar um pouco do indicado. (repito: só um pouco);
– tenha cuidado ao usar materiais de enchimento na peça, já que ela vai ter que ir no forno. Materiais que contenham água (como biscuit que não tenha secado completamente), plásticos (como o isopor), devem ser evitados, pois terão suas formas alteradas pelo aquecimento. No caso de materiais com água, essa irá evaporar provocando tensões internas, ocasionando rachaduras e/ou bolhas;
– As polymers não são tóxicas em si, mas durante o processo de assar liberam gases que não são agradáveis, procure manter o ambiente arejado;

Como assar, evitando rachaduras

Com ajuda de muito estudo na internet, vídeos, blogs, comentários, etc. encontrei uma forma ideal de assar as peças para evitar ao máximo as rachaduras provenientes desse processo.
Não fui o único a chegar nesse entendimento, tendo o escultor Stefan Niehues-Ellermann, desenvolvedor e fabricante da Beesputty, descreveu o que acontece com a polymer durante o processo de assamento.
Meu adendo ao processo é que no passo 2 é possível deixar mais tempo sem riscos a integridade da peça, dependendo da espessura do material, isso é inclusive recomendado.

  1. Coloque a peça no forno frio;
  2. aqueça até 80ºC e mantenha por 15 minutos;
  3. passe para a temperatura recomendada pelo fabricante, assim que atingir, comece a contar o tempo;
  4. Asse por 30 minutos, ou mais se a peça for grossa;
  5. reduza o forno para 50ºC e assim que atingir, mantenha por 15 minutos;
  6. desligue o forno e deixe retornar à temperatura ambiente.


(1.) …calor afeta como uma onda de fora até o núcleo…
(2.) …até a miniatura alcançar a temperatura máxima.
(3.) …agora deixe esfriar o mais devagar possível. Não mova ou toque…
(4.) …até estar de volta a temperatura ambiente

Tradução da imagem:
O que acontece durante o processo de assar de BeeSPutty ?
Assar?!? Com todas as polymer clays algumas vezes você terá problemas com rachaduras na superfície após assar. Isso frequentemente acontece se pequenas e grandes quantidades de massa são assadas de uma vez, ou se muitos materiais diferentes estão envolvidos. Aqui vai meu alerta sobre como eu asso minhas peças:
(1.) Coloque a escultura no forno frio. Tenha certeza que a escultura não toque nenhuma parte de metal diretamente. Aqueça o forno até ~80°C – Mantenha essa temperatura por 15 a 20 minutos.
(2.) Então você pode subir a temperatura ao máximo recomendado em suas instruções. Deixe ela assar por 20 a 30 minutos. O calor expande o material de forma geral. Em nosso caso, do exterior para o núcleo. Existe espaço suficiente para expandir. Após a escultura alcançar sua temperatura máxima a parte mais difícil inicia.
(3.) O Processo de resfriamento. Agora é o caminho oposto. O núcleo está expandido e enquanto ele esfria de fora para dentro também encolhe de fora para dentro. Se ele esfriar muito rapidamente você terá grandes rachaduras. Então, tenha certeza de resfriar isso o mais devagar possível. A maior parte das rachaduras acontece por resfriar muito rapidamente. Para prevenir isso, baixe a temperatura para em torno de ~50°C e deixe resfriar por 60 minutos. Então desligue o forno e NÃO ABRA, Deixe forno e escultura esfriarem até atingir a temperatura ambiente.
(4.) Isso pode levar de 2 a 12 horas.
Geometria complicada, tensão na estrutura, bolsões de ar e núcleo de papel alumínio também são indicadores para geração de rachaduras.

Quer saber mais sobre massas de uma forma geral?
Clica no Link aí!!!

Clica no link!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: